E+ Painel

E+ Painel

O E+ Painel é o conselho consultivo do Instituto E+. O conselho reúne renomados especialistas que identificam e debatem as questões fundamentais da transição energética para formulação e antecipação de soluções de longo prazo.

Luiz Augusto Barroso

Presidente do E+ Painel

Diretor-presidente da PSR. De 2016 a 2018 foi presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE-MME). Em 2018, foi também visitante na Agência Internacional de Energia (AIE), atuando no programa Clean Energy Transition Program, que estuda a transição energética em economias emergentes. Antes de juntar-se à EPE, Luiz Barroso foi sócio e diretor técnico da PSR por 17 anos. É também pesquisador associado da Universidade de Comillas, em Madrid, e professor da Escola de Regulação de Florença, na Itália. É editor associado da IEEE Power & Energy Magazine. Foi editor associado da revista IEEE Transactions on Power Systems e da IEEE Transactions on Smart Grids. É o chair do Power Systems Operations, Planning and Economics Committee da IEEE Power and Energy Society, onde é membro sênior. Recebeu, em 2010, o IEEE PES Outstanding Young Engineer Award. Foi coordenador do comitê de Mercados de Eletricidade e Regulação (C5) do Cigré Brasil de 2010 a 2014 e é membro do steering committee do SC C5 do Cigré Internacional. É autor e coautor de mais de 200 artigos científicos em periódicos e conferências em temas relacionados a mercados competitivos de energia. É graduado em matemática e possui doutorado em Engenharia de Sistemas (otimização) pela COPPE/UFRJ, Brasil.


Foto de Alessandro Molon

Alessandro Molon

Alessandro Molon é advogado e professor de Direito na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), além de bacharel e mestre em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Atualmente, cumpre seu terceiro mandato como deputado federal, filiado ao PSB, e é Líder da Oposição na Câmara. Relator da Lei da Internet Livre (Marco Civil da Internet) e coautor da emenda constitucional que garante o acesso de todos à Justiça por meio de uma Defensoria Pública fortalecida, também coordenou a Frente Parlamentar Ambientalista por dois anos. Por sua atuação firme no Congresso, foi escolhido, em 2017, o Melhor Deputado Federal do Brasil e, em 2018, o Parlamentar que Melhor Combate a Corrupção e o Crime Organizado - ambos pelo júri do Prêmio Congresso em Foco, o de maior prestígio na área. Antes de chegar à Câmara em Brasília, exerceu dois mandatos como deputado estadual na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), onde presidiu a Comissão de Direitos Humanos e Cidadania e a Comissão de Cultura.

Foto de Ana Toni

Ana Toni

Ana Toni é diretora executiva do Instituto Clima e Sociedade (iCS) e sócia-fundadora do GIP (Gestão de Interesse Público). Economista e doutora em Ciência Política, possui longa trajetória no trabalho e apoio a projetos voltados à justiça social, à promoção de políticas públicas, à área do meio ambiente e mudanças climáticas e à filantropia. Ana foi Presidente de Conselho do Greenpeace Internacional (2010 e 2017), diretora da Fundação Ford no Brasil (2003-2011) e da ActionAid Brasil (1998-2002). Além de ter sido membro do conselho do GIFE, WINGS, ITS e Wikimedia, atualmente é integrante da Rede de Mulheres Brasileiras Líderes pela Sustentabilidade e dos conselhos da Agência Pública, Gold Standard Foundation, Instituto Escolhas, ClimaInfo, Instituto República, Fundo Baobá por Igualdade Racial e Transparência Internacional.

Foto de André Araujo

André Araujo

André Araujo é presidente da Shell Brasil Petróleo, com mais de 30 anos de experiência na indústria de óleo e gás. Entre as conquistas mais marcantes sob sua gestão, destacam-se a consolidação da joint venture Raízen, a participação no consórcio do megaprojeto de Libra – primeiro sob o regime de partilha de produção no pré-sal brasileiro – e a aprovação da combinação com o BG-Group. Em cargos anteriores, acumulou experiência em diversas áreas de negócios, tais como a área Comercial e de Relações com o Governo. É conselheiro do Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP), do Conselho Empresarial Brasileiro de Desenvolvimento Sustentável - CEBDS (WBCSD branch), do Instituto Ethos e do Museu do Amanhã (CONMAM, Rio de Janeiro). É graduado em Engenharia Química pela UFRJ e possui MBA pelo IBMEC- São Paulo.

André Araujo é presidente da Shell Brasil Petróleo, com mais de 30 anos de experiência na indústria de óleo e gás. Entre as conquistas mais marcantes sob sua gestão, destacam-se a consolidação da joint venture Raízen, a participação no consórcio do megaprojeto de Libra – primeiro sob o regime de partilha de produção no pré-sal brasileiro – e a aprovação da combinação com o BG-Group. Em cargos anteriores, acumulou experiência em diversas áreas de negócios, tais como a área Comercial e de Relações com o Governo. É conselheiro do Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP), do Conselho Empresarial Brasileiro de Desenvolvimento Sustentável - CEBDS (WBCSD branch), do Instituto Ethos e do Museu do Amanhã (CONMAM, Rio de Janeiro). É graduado em Engenharia Química pela UFRJ e possui MBA pelo IBMEC- São Paulo.
Foto de Andre Sales

Andre Sales

Andre Sales é sócio do Pátria Investimentos e responsável por investimentos em Infraestrutura. Foi co-fundador e co-presidente da ERSA, empresa que deu origem à CPFL Energias Renováveis. É membro do Conselho de Administração de diversas empresas controladas pelo Pátria, nos setores de Energia, Logística e Telecomunicações. Anteriormente, foi gerente geral de gestão e operação de Energia na Vale (2002-2003) e assessor da diretoria do BNDES, tendo tido participação ativa na Câmara de Gestão da Crise do Setor Elétrico no racionamento de energia de 2001. Trabalhou no JPMorgan em São Paulo e Nova York, nas áreas de fusões, aquisições e finanças corporativas (1996-2000). É graduado em Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP).

Foto de Caio Koch-Weser

Caio Koch-Weser

Caio Koch-Weser é presidente do Conselho Consultivo da Fundação Europeia para o Clima. Koch-Weser atuou em diversos cargos de alto nível no Banco Mundial, em Washington, de 1973 até 1999. De 1999 até 2005, foi Secretário de Estado para as Finanças do governo alemão. Suas responsabilidades incluíam finanças internacionais (secretário do G-7), assuntos econômicos e financeiros europeus, além de mercados de capital, sistema bancário e seguros. Entre 2003 e 2005, Caio Koch-Weser atuou como presidente do comitê financeiro e econômico europeu, um comitê formado por diretores do tesouro e diretores do Banco Central para preparar as reuniões ministeriais europeias (euro group e ECOFIN). Também foi presidente do conselho supervisor do BaFin (agência supervisora dos bancos e seguradoras alemães). De 2006 até 2016, foi vice-presidente do grupo Deutsche Bank. Também atuou como diretor externo do conselho do grupo BG (2010-2016). Outras atividades atuais incluem: membro do Conselho do World Resources Institute (WRI) em Washington, membro do comitê global em Economia e Clima (NCE) e membro do conselho do Centro para Reforma Europeia (CER), em Londres. Caio Koch-Weser estudou economia na Alemanha.

Foto de Elena Landau

Elena Landau

Elena Landau é membro do Conselho Acadêmico do Livres (desde 2018), membro do conselho consultivo da Comgas e do conselho de administração do MAM. Economista e Advogada, com atuação de destaque na implantação de reformas estruturais no estado brasileiro, é uma voz de referência, principalmente nas questões ligadas ao setor elétrico brasileiro. É sócia do escritório de advocacia Sergio Bermudes desde 2007. É reconhecida pela edição latino-americana da revista Chambers and Partners, como uma das principais advogadas brasileiras, por sua atuação na área de regulação do setor elétrico. Foi professora do Departamento de Economia da PUC-RJ (1981-2004) e da Escola de Direito da FGV/RJ. Atuou como assessora econômica da Presidência do PSDB (sendo uma das principais economistas do PSDB por 25 anos, se desligando do partido em 2017), foi diretora da área responsável pelo Programa Nacional de Desestatização (durante o governo de Fernando Henrique Cardoso). Foi também, conselheira da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, da Companhia Vale do Rio Doce e da CEMIG – Centrais Elétricas de Minas Gerais e presidente do Conselho da Eletrobras. É Bacharel em Economia e Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RIO) e Mestre em Economia pela PUC-RIO.

Elena Landau é membro do Conselho Acadêmico do Livres (desde 2018), membro do conselho consultivo da Comgas e do conselho de administração do MAM. Economista e Advogada, com atuação de destaque na implantação de reformas estruturais no estado brasileiro, é uma voz de referência, principalmente nas questões ligadas ao setor elétrico brasileiro. É sócia do escritório de advocacia Sergio Bermudes desde 2007. É reconhecida pela edição latino-americana da revista Chambers and Partners, como uma das principais advogadas brasileiras, por sua atuação na área de regulação do setor elétrico. Foi professora do Departamento de Economia da PUC-RJ (1981-2004) e da Escola de Direito da FGV/RJ. Atuou como assessora econômica da Presidência do PSDB (sendo uma das principais economistas do PSDB por 25 anos, se desligando do partido em 2017), foi diretora da área responsável pelo Programa Nacional de Desestatização (durante o governo de Fernando Henrique Cardoso). Foi também, conselheira da Bolsa de Valores do Rio de Janeiro, da Companhia Vale do Rio Doce e da CEMIG – Centrais Elétricas de Minas Gerais e presidente do Conselho da Eletrobras. É Bacharel em Economia e Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RIO) e Mestre em Economia pela PUC-RIO.
Foto de Fernando Coelho

Fernando Coelho

Fernando Coelho Filho está em seu quarto mandato como Deputado Federal de Pernambuco pelo DEM após ser reeleito nas Eleições de 2018, 2014, 2010 e 2006. É administrador de empresas e político brasileiro, ex-Ministro de Minas e Energia do Brasil no Governo Michel Temer (2016-2018). Foi eleito o deputado federal mais novo nas eleições de 2006.

Foto de Isabel Lustosa

Isabel Lustosa

Isabel Lustosa é integrante do Ulhôa Canto (desde 1997) e sócia conselheira (desde 2005). Atua principalmente na área de energia elétrica, com ampla experiência em assuntos regulatórios, contencioso administrativo e judicial, arbitragem, licitações, projetos e fusões e aquisições nesse setor. A equipe que lidera no Ulhôa Canto tem sido classificada sempre em primeiro lugar do ranking de várias publicações internacionais como Chambers, Legal 500, Latin Lawyer dentre outros. É membro da Ordem dos Advogados do Brasil e da New York Bar Association. Foi associada estrangeira do Cleary, Gottlieb, Steen & Hamilton, em Nova York (1996-1997). É graduada pela UERJ e Mestre em Direito (LL.M.) pela Harvard Law School.

Foto de Izabella Teixeira

Izabella Teixeira

Izabella Teixeira é co-presidente do Painel Internacional de Recursos Naturais da ONU (IRP/UNEP) desde 2017, ex-Ministra do Meio Ambiente (2010-2016), membro do board da UN DESA, Membro do Global Comission on the Geopolitics of Energy Transformation do IRENA (desde 2018) e membro sênior em Mudança do Clima e Uso do Solo do CEBRI (desde 2017). É Senior Fellow de Mudança do Clima e Meio Ambiente do Centro Brasileiro de Relações Internacionais, Presidente de Honra do Conselho de Meio Ambiente da ACRJ e diretora Executiva na Empresa New Tracks Meio Ambiente e Desenvolvimento (desde 2017). Recebeu o Prêmio Global de Meio Ambiente da ONU como liderança global política em meio ambiente (2013) e é analista Ambiental (aposentada), no Ministério do Meio Ambiente (1985-2015). É PhD em Planejamento Ambiental, Políticas Ambientais, Energia e Mudanças do Clima, pela COPPE/UFRJ.

Izabella Teixeira é co-presidente do Painel Internacional de Recursos Naturais da ONU (IRP/UNEP) desde 2017, ex-Ministra do Meio Ambiente (2010-2016), membro do board da UN DESA, Membro do Global Comission on the Geopolitics of Energy Transformation do IRENA (desde 2018) e membro sênior em Mudança do Clima e Uso do Solo do CEBRI (desde 2017). É Senior Fellow de Mudança do Clima e Meio Ambiente do Centro Brasileiro de Relações Internacionais, Presidente de Honra do Conselho de Meio Ambiente da ACRJ e diretora Executiva na Empresa New Tracks Meio Ambiente e Desenvolvimento (desde 2017). Recebeu o Prêmio Global de Meio Ambiente da ONU como liderança global política em meio ambiente (2013) e é analista Ambiental (aposentada), no Ministério do Meio Ambiente (1985-2015). É PhD em Planejamento Ambiental, Políticas Ambientais, Energia e Mudanças do Clima, pela COPPE/UFRJ.
Foto de Jerson Kelman

Jerson Kelman

Jerson Kelman é professor de recursos hídricos da COPPE-UFRJ desde 1974. Foi um dos criadores, diretor e presidente da ABRH. Presidiu a força-tarefa designada pelo presidente Fernando Henrique Cardoso para investigar e explicar o racionamento de energia elétrica de 2001. Foi presidente da SABESP (2015-2018), interventor da ENERSUL (2013-2014), presidente do Grupo Light (2010-2012), sócio da BR - Investimentos (2009), Diretor-Geral da ANEEL (2005-2008), Presidente da ANA (2001-2004), Assessor Especial do Ministro do Meio Ambiente (1999-2000), Consultor do Banco Mundial (1997-1998), Diretor Técnico da SERLA (1991-1996), Pesquisador do CEPEL (1976-1990). É membro dos conselhos ENEVA, EVOLTZ, IGUÁ, FEBRABAN e FBDS. Foi membro dos conselhos ONS, SABESP, ELETROPAULO, COSESP, ABDIB, ABENGOA (na Espanha), UNESCO-IHE (na Holanda), CNPE, CMSE, CONAMA, CNRH, FIESP, Comitê de Energia FIRJAN, Conselho Consultivo da Prática Global da Água (WORLD BANK), GWP e do Comitê Científico da Semana Mundial da Água de Estocolmo (SWW). É autor de dois livros, "Cheias e Aproveitamentos Hidroelétricos " (1983) e "Desafios do Regulador" (2009). Jerson é engenheiro civil pela EE/UFRJ (1971), mestre em hidráulica pela COPPE/UFRJ (1973), doutor em Hidrologia e Recursos Hídricos pela Colorado State University (1976) e livre Docente na EE/UFRJ. Recebeu o prêmio King Hassan II, por indicação do Conselho Mundial da Água (2003).

Foto de Joaquim Levy

Joaquim Levy

Joaquim Levy ocupou vários cargos no Fundo Monetário Internacional de 1992 a 1999. Foi economista visitante no Banco Central Europeu de 1999 a 2000. De 2010 a 2014, foi Diretor Superintendente da Bradesco Asset Management S.A. Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários, braço do Banco Bradesco S.A. Em 2016, ingressou no Grupo Banco Mundial, tendo assumido o cargo de Diretor Financeiro. No governo, assumiu diferentes cargos, como de Secretário-Adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Economista-Chefe do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Secretário do Tesouro Nacional, Ministro da Fazenda da República Federativa do Brasil e Presidente do BNDES, tendo sido ainda Secretário da Fazenda do Estado do Rio de Janeiro. É doutor em Economia pela Universidade de Chicago (1992), mestre em Economia pela Fundação Getúlio Vargas (1987) e graduado em Engenharia Naval pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Foto de Joísa Campanher Dutra Saraiva

Joísa Campanher Dutra Saraiva

Joísa Campanher Dutra Saraiva é fundadora e diretora do Centro de Regulação em Infraestrutura (FGV CERI) desde 2010 e Professora da Escola de Pós-Graduação em Economia da Fundação Getulio Vargas. Foi Diretora da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) (2005-2009). Membro, desde 2014, do Global Future Council - The Future of Energy of the World Economic Forum. Presidente do Conselho de Energia da Associação Comercial do Rio de Janeiro. Também é Coordenadora do Mestrado em Finanças e Economia Empresarial da Escola de Pós-Graduação em Economia da FGV. Membro do Innovation Council do E-DSO, associação que congrega operadores europeus de redes de eletricidade. Em 2010, foi Professora Convidada no Mossavar-Rahmani Center for Business and Government na Harvard Kennedy School (Universidade de Harvard). No primeiro semestre de 2013, participou do Australian Leadership Award Fellowship Program, prêmio do governo australiano. Editora da Revista Competition and Regulation in Network Industries. Tem diversos artigos publicados em periódicos, revistas peer reviewed, e em livros no Brasil e no exterior.

Joísa Campanher Dutra Saraiva é fundadora e diretora do Centro de Regulação em Infraestrutura (FGV CERI) desde 2010 e Professora da Escola de Pós-Graduação em Economia da Fundação Getulio Vargas. Foi Diretora da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) (2005-2009). Membro, desde 2014, do Global Future Council - The Future of Energy of the World Economic Forum. Presidente do Conselho de Energia da Associação Comercial do Rio de Janeiro. Também é Coordenadora do Mestrado em Finanças e Economia Empresarial da Escola de Pós-Graduação em Economia da FGV. Membro do Innovation Council do E-DSO, associação que congrega operadores europeus de redes de eletricidade. Em 2010, foi Professora Convidada no Mossavar-Rahmani Center for Business and Government na Harvard Kennedy School (Universidade de Harvard). No primeiro semestre de 2013, participou do Australian Leadership Award Fellowship Program, prêmio do governo australiano. Editora da Revista Competition and Regulation in Network Industries. Tem diversos artigos publicados em periódicos, revistas peer reviewed, e em livros no Brasil e no exterior.
Foto de Jorge Camargo

Jorge Camargo

Jorge Camargo atua há mais de 40 anos na indústria do petróleo. É formado em Geologia pela Universidade de Brasília, com mestrado em Geofísica pela Universidade do Texas. Por 27 anos trabalhou na Petrobras, no Brasil e no exterior, onde exerceu funções tais como Superintendente de Exploração das Bacias Ceará-Potiguar, Gerente Geral da
Petrobras no Reino Unido, Presidente da Braspetro e membro da Diretoria Executiva da Petrobras, sendo responsável pela Área Internacional. Também trabalhou para a Statoil, hoje Equinor, inicialmente como Vice-Presidente Sênior na sede em Stavanger, Noruega, e posteriormente como Presidente da Equinor no Brasil. Em 2010, redirecionou sua atividade profissional para consultoria e conselhos de empresas e organizações, sendo hoje membro dos Conselhos de Administração do Grupo Ultrapar e da Prumo Logística Global. Presidiu o Instituto Brasileiro do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP) e hoje é membro emérito do
seu conselho de administração. É membro do conselho curador do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI), responsável pelo Núcleo de Energia.

Foto de Mario Veiga Pereira

Mario Veiga Pereira

Mario Veiga Pereira é engenheiro eletricista e possui mestrado e doutorado em otimização. Ele fundou a PSR em 1987 e foi CEO da empresa até dezembro de 2018, quando se tornou Chief Innovation Officer (CINO). No Brasil, ele assessorou a maioria dos investidores internacionais e locais na contratação de estratégias, aquisições e investimentos em nova capacidade. Ele foi o principal conselheiro presidencial na gestão da crise energética de 2001 e no desenho das novas regras do mercado da eletricidade em 2004. Foi o principal formulador dos leilões de contratação de energia do país, co-projetou o programa de bioeletricidade do país (biomassa de cana-de-açúcar) e desenvolveu metodologias para leilões de energia eólica. Algumas de suas recentes atividades de consultoria internacional incluem o desenvolvimento de um modelo de planejamento de geração para o Pacific Northwest dos EUA, um sistema de previsão de preços para o Nordpool Escandinavo, reforma dos mercados de eletricidade da Turquia, Vietnã e México, estudo de interconexão de 8 países sul-americanos e estudos para a integração de geração renovável em vários países do mundo. É um desenvolvedor líder de métodos avançados de otimização. Seu algoritmo de programação dinâmica dual estocástica (SDDP) é uma referência mundial e é aplicado em dezenas de países. Ele também desenvolveu novos métodos para o ótimo planejamento da expansão e avaliação da confiabilidade de suprimento. É Fellow do IEEE, membro eleito da Academia Brasileira de Ciências e da Academia Nacional de Engenharia. Recebeu a Medalha Presidencial do Rio Branco por sua contribuição ao setor elétrico brasileiro, a Medalha de Mérito Científico por suas contribuições de pesquisa e é co-recipente do Prêmio Franz Edelman, pelo desenvolvimento de ferramentas de otimização estocástica para a operação de sistemas hidrotérmicos. Ele é autor e co-autor de quatro livros e cerca de 200 artigos em periódicos internacionais.

Foto de Mauricio Bähr

Mauricio Bähr

Mauricio Bähr é atualmente Presidente do Grupo ENGIE no Brasil e Presidente do Conselho de Administração de várias empresas do grupo: ENGIE Brasil Energia, TAG – Transportadora Associada de Gás e ESBR - Energia Sustentável do Brasil - Projeto Jirau. Foi Presidente do Conselho do ONS - Operador Nacional do Sistema Interligado Brasileiro por 10 anos e, desde 2017, continua atuando como Membro do Conselho de Administração do ONS. Atuou como Diretor Financeiro da Serra da Mesa Energia S.A. em 1997, Diretor Financeiro da Nacional Energética S.A. e foi Membro do Conselho da Iven S.A. até 1997, quando ingressou no Grupo ENGIE. É graduado em Engenharia Mecânica e Análise de Sistemas, possui MBA pela Coppead-UFRJ e formou-se em Finanças Corporativas pela Universidade de Berkeley (EUA).

Mauricio Bähr é atualmente Presidente do Grupo ENGIE no Brasil e Presidente do Conselho de Administração de várias empresas do grupo: ENGIE Brasil Energia, TAG – Transportadora Associada de Gás e ESBR - Energia Sustentável do Brasil - Projeto Jirau. Foi Presidente do Conselho do ONS - Operador Nacional do Sistema Interligado Brasileiro por 10 anos e, desde 2017, continua atuando como Membro do Conselho de Administração do ONS. Atuou como Diretor Financeiro da Serra da Mesa Energia S.A. em 1997, Diretor Financeiro da Nacional Energética S.A. e foi Membro do Conselho da Iven S.A. até 1997, quando ingressou no Grupo ENGIE. É graduado em Engenharia Mecânica e Análise de Sistemas, possui MBA pela Coppead-UFRJ e formou-se em Finanças Corporativas pela Universidade de Berkeley (EUA).
Foto de Paulo Jerônimo Bandeira de Mello Pedrosa

Paulo Jerônimo Bandeira de Mello Pedrosa

Paulo Jerônimo Bandeira de Mello Pedrosa (1961) é Presidente da Abrace - Associação Brasileira dos Grandes Consumidores Industriais de Energia e Consumidores Livres. É engenheiro mecânico pela Universidade de Brasília (UnB). Tem MBA da FIA-USP e participou dos programas STC e PGA, da Fundação Don Cabral, com Kellogg (Chicago - USA) e INSEAD (Fontainebleau - FR) e do curso em Utility Regulation, Corpus Christi College (Oxford - UK). Atuou como professor dos cursos de MBA em Energia do IBMEC- Rio e FGV-SP, da Pós-Graduação em Direito da Energia da Universidade Cândido Mendes e de cursos da USP, Unifei e UnB. Foi sócio da Celeste Engenharia, projetista de PCHs. Trabalhou na Eletronorte (projeto de usinas), na Chesf (adjunto da presidência) e na Comissão de Infra-Estrutura do Senado Federal. Foi diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e presidente da Abraceel – Associação Brasileira dos Comercializadores de energia. Participou dos Conselhos do Operador Nacional do Sistema (ONS), de Itaipu Binacional e das Distribuidoras Light e Cemar. É conselheiro da Equatorial Energia e membro do Fórum Nacional da Indústria da CNI. Foi Secretário-Executivo do Ministério de Minas e Energia e Ministro de Estado Interino de Minas e Energia (MME).

Foto de Pedro Malan

Pedro Malan

Pedro Malan foi ministro da Fazenda durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, presidiu o Banco Central na implementação do Plano Real e foi o negociador responsável pela reestruturação da dívida externa brasileira no início da década de 1990. Representou o Brasil nas Diretorias Executivas do Banco Mundial e do BID em Washington e na ONU, em Nova York. Atualmente é membro de conselhos de empresas no Brasil e no exterior e professor do Departamento de Economia da PUC-Rio, instituição onde se graduou em Engenharia. Malan é ainda Ph.D. em Economia pela Universidade de Berkeley, Califórnia.

Foto de Pedro Parente

Pedro Parente

Pedro Parente é Presidente do Conselho da BRF desde abril de 2018 e ocupou a posição de CEO Global da companhia de junho de 2018 a junho de 2019. O executivo iniciou sua trajetória profissional em 1971, por meio de concurso público para o Banco do Brasil e depois, em 1973, ingressou no Banco Central. Foi consultor de instituições públicas, incluindo Secretarias de Estado e a Assembleia Nacional Constituinte de 1988. Entre 1999 ne 2003, Parente foi Ministro de Estado, passando pelos Ministérios da Casa Civil e Planejamento, tendo sido também o coordenador da equipe de transição do Governo Fernando Henrique Cardoso para o Presidente Lula. Neste período, destaca-se ainda sua atuação como Presidente da Câmara de Gestão da Crise de Energia de 2001/2002. De março de 1999 a dezembro de 2002, foi membro do Conselho de Administração da Petrobras, tornando-se Presidente do Conselho em março de 2002. Já na iniciativa privada, ocupou a posição de Vice-Presidente Executivo (COO) do Grupo RBS, entre 2003 e 2009; e Presidente e CEO da Bunge Brasil, de 2010 a 2014. Em junho de 2016, assumiu como Presidente da Petrobras. O executivo também acumula passagens por diversos Conselhos de Administração de empresas privadas e estatais, entre as quais o CPFL e BM&FBOVESPA, Atual B3 S.A.

Pedro Parente é Presidente do Conselho da BRF desde abril de 2018 e ocupou a posição de CEO Global da companhia de junho de 2018 a junho de 2019. O executivo iniciou sua trajetória profissional em 1971, por meio de concurso público para o Banco do Brasil e depois, em 1973, ingressou no Banco Central. Foi consultor de instituições públicas, incluindo Secretarias de Estado e a Assembleia Nacional Constituinte de 1988. Entre 1999 ne 2003, Parente foi Ministro de Estado, passando pelos Ministérios da Casa Civil e Planejamento, tendo sido também o coordenador da equipe de transição do Governo Fernando Henrique Cardoso para o Presidente Lula. Neste período, destaca-se ainda sua atuação como Presidente da Câmara de Gestão da Crise de Energia de 2001/2002. De março de 1999 a dezembro de 2002, foi membro do Conselho de Administração da Petrobras, tornando-se Presidente do Conselho em março de 2002. Já na iniciativa privada, ocupou a posição de Vice-Presidente Executivo (COO) do Grupo RBS, entre 2003 e 2009; e Presidente e CEO da Bunge Brasil, de 2010 a 2014. Em junho de 2016, assumiu como Presidente da Petrobras. O executivo também acumula passagens por diversos Conselhos de Administração de empresas privadas e estatais, entre as quais o CPFL e BM&FBOVESPA, Atual B3 S.A.
Foto de Samuel Pessoa

Samuel Pessoa

Samuel Pessoa é doutor em Economia pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente é Sócio da Reliance em São Paulo, pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas no Rio de Janeiro e colunista do jornal Folha de São Paulo. Tem experiência na área de crescimento e desenvolvimento econômico, atuando principalmente nas questões relacionados a taxas, gastos e educação no Brasil. Autor de diversos artigos acadêmicos publicados em revistas nacionais e internacionais foi premiado na Haralambos Semionidis – ANPEC como melhor tese do ano de 1995.

Foto de Solange Ribeiro

Solange Ribeiro

Solange Ribeiro ingressou na Neoenergia em 2004, como Diretora Executiva de Regulação e Meio Ambiente. No Período 2012 - 2017 foi Diretora Presidente da Companhia. É titular do Conselho de Administração de diversas empresas do Grupo, dentre as quais Coelba, Celpe e Cosern, além da Norte Energia S.A.. É Vice Presidente do Conselho de Administração do Operador Nacional do Sistema – ONS. É membro do Conselho da Associação Brasileira de Infraestrutura e Indústrias de Base - ABDIB. Participa do Comitê Gestor Nacional do Projeto Juntos e do Conselho de Líderes do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável -CEBDS. Foi também membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social – CDES. Com 35 anos de experiência, construiu carreira ascendente no setor elétrico brasileiro tendo exercido cargos de alta liderança em grandes empresas, como Chesf e Eletropaulo. Atuou como consultora na National Economic Research Associates em Washington, DC. Graduada em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Pernambuco, e com mestrado na mesma área pela PUC-Rio, foi pesquisadora visitante do Imperial College of Science, Technology and Medicine, em Londres.

Foto de Teresa Liporace

Teresa Liporace

Teresa Liporace é Diretora Executiva do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), formada em Engenheira Química pela UFRJ, mestre em  Engenharia de Produção com foco em Inovação Tecnológica e Qualidade pela (COPPE/UFRJ) e especialização em regulação pela George Washington School of Business. Tem ampla experiência no campo das organizações da sociedade civil no Brasil, com foco na elaboração e monitoramento de políticas públicas, além de mais de 20 anos de experiência em defesa do consumidor. Já integrou diversos Conselhos e Comitês Técnicos em órgãos do executivo federal como representante da sociedade civil.33

Teresa Liporace é Diretora Executiva do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), formada em Engenheira Química pela UFRJ, mestre em  Engenharia de Produção com foco em Inovação Tecnológica e Qualidade pela (COPPE/UFRJ) e especialização em regulação pela George Washington School of Business. Tem ampla experiência no campo das organizações da sociedade civil no Brasil, com foco na elaboração e monitoramento de políticas públicas, além de mais de 20 anos de experiência em defesa do consumidor. Já integrou diversos Conselhos e Comitês Técnicos em órgãos do executivo federal como representante da sociedade civil.33
Foto de Thiago Barral

Thiago Barral

Thiago Barral é funcionário de carreira da Empresa de Pesquisa Energética desde 2007. Em fevereiro de 2019, foi nomeado Presidente da EPE. Antes de assumir a Presidência, atuou como Diretor de Estudos Econômico-Energéticos e Ambientais entre fevereiro de 2018 a janeiro de 2019, onde foi responsável, principalmente, pela realização de estudos de mercado e demanda de energia, geração distribuída, eficiência energética, estudos ambientais de usinas hidrelétricas e linhas de transmissão, metas de redução de emissões do setor energético, gestão de bases georreferenciadas, estudos energéticos e tecnológicos de longo prazo. Anteriormente, assumiu a Superintendência de Projetos de Geração na coordenação do processo de habilitação técnica e cálculo dos preços-teto nos leilões de energia, no planejamento do suprimento aos sistemas isolados, no desenvolvimento estudos de inventário e de viabilidade técnico-econômica de usinas hidrelétricas. Nesta mesma Superintendência, exerceu o cargo de Superintendente Adjunto de setembro de 2013 a setembro de 2016. Thiago é formado em Engenharia Civil pela UFJF, mestre em Recursos Hídricos e Meio Ambiente pela COPPE/UFRJ e pós-graduado em Administração Pública pela FGV-RJ.

Foto de Zeina Latif

Zeina Latif

Zeina Latif é doutora em Economia pela USP e consultora. Antes disso foi economista- chefe da XP Investimentos e teve passagem por várias instituições financeiras, como o Royal Bank of Scotland, ING, ABN-Amro Real e HSBC. É colunista do Estadão.

Zeina Latif é doutora em Economia pela USP e consultora. Antes disso foi economista- chefe da XP Investimentos e teve passagem por várias instituições financeiras, como o Royal Bank of Scotland, ING, ABN-Amro Real e HSBC. É colunista do Estadão.